Seja no corte ou no leite, a cada dia que passa os pecuaristas se veem desafiados a produzir de forma mais eficiente, sempre mais e melhor. E quando consideramos o método de criação extensivo, sistema ainda predominante no país, nos deparamos com o grande desafio de lidar com os déficits nutricionais de nossas pastagens, principalmente no período da seca (Euclides, 2000).

Em decorrência a forte influência da sazonalidade no manejo nutricional do rebanho, uma estratégia muito utilizada é o diferimento de pastagem, que consiste em separar um pasto para utilização na época de menor disponibilidade de forragem. Entretanto, embora as pastagens diferidas sejam sinônimo de praticidade, baixo custo e bom volume, o valor nutritivo fica aquém do exigido, reduzindo assim a curva de crescimento do rebanho (Euclides et al., 2007; Silva et al., 2009).

Um dos minerais mais ausentes nas pastagens tropicais é o Fósforo, principalmente nas vacas de cria, onde há alta demanda em razão de mantença, aliada a formação do feto e produção do colostro no final da gestação. Nessa fase as demandas de Fósforo e outros minerais como o Cálcio não conseguem ser supridas pela alimentação, havendo necessidade da ativação de mecanismos fisiológicos de mobilização de minerais dos ossos (Braithwaite, 1983; McMeniman & Little, 1974; McMeniman & Little, 1974).

Considerando as deficiências nutricionais já citadas, é de grande importância que haja suplementação de vitaminas e minerais, principalmente durante o inverno, possibilitando um crescimento satisfatório e financeiramente viável para cada tipo de criação e aptidão (Paulino, 2001). A forma mais comum de suplementação é por via oral, no qual os nutrientes são administrados diariamente ao animal através do trato. Uma outra forma de suplementação é a forma injetável, com a vantagem de ser mais rapidamente absorvida e não sofrer influência do sistema gastrintestinal.

Como uma das carências mais comuns nos rebanhos é a de Fósforo, uma excelente opção para suprir essa carência é a utilização de Butafosfan por via injetável. O Butafosfan é uma fonte 100% orgânica do mineral, possuindo em sua molécula 17,3% de íons P, além da grande vantagem de propiciar ganho de peso na boiada, devido ao seu importante papel na síntese de ATP. Possui ainda capacidade comprovada de amenizar o estresse, aumentar a imunidade e o metabolismo energético dos animais (EMEA, 2000; Flasshoff, 1974; Simon, 1990; Larscheid, 1994).

A sugestão da JA Saúde Animal para a suplementação injetável é o uso do Catofós B12, que além de conter o Butafosfan em sua formulação, conta com a ação da Vitamina B12. Essa vitamina incrementa ainda mais o metabolismo energético, principalmente por atuar na re-síntese de energia para o organismo animal (Mcdowell, 2000; Cunningham, 2002), tornando o Catofós B12 solução ideal para a suplementação de animais nutricionalmente deficientes, ou até mesmo àqueles enfermos ou convalescentes.

 

Autores:

Prof. Dr. José Abdo Andrade Hellu – Médico Veterinário e Fundador da J.A Saúde Animal

M.V. Eduardo Henrique de Castro Rezende – J.A Saúde Animal

 

Referências:

Baird, D.G., 1982. Primary ketosis in the high-producing dairy cow: clinical and subclinical disorders, treatment, prevention, and outlook. J. Dairy Sci. 65, 1-10.

BRAITHWAITE, G.D. Calcium and phosphorus requirements of the ewe during pregnancy and lactation. 1. Calcium. British Journal of Nutrition, v.50, n.3, p.711-722, 1983a.

Corsi, M.; Nascimento Junior, D. Princípios de fisiologia e morfologia de plantas forrageiras aplicados ao manejo das pastagens. In: Peixoto, A.M.; Moura, J.C. de; Faria, V.P. da (Ed.). Pastagens: fundamentos da exploração racional. Piracicaba: Fealq, 1994. p.15-48.

Cunningham, J. G. 2002. Textbook of Veterinary Physiology. 3rd ed.W. B. Saunders Co., Philadelphia, PA.

EUCLIDES, V.P.B. Alternativas para intensificação da produção de carne bovina em pastagem. Campo Grande: Embrapa gado de corte, 2000. 65p.

EUCLIDES, V.P.B.; FLORES, R.; MEDEIROS, R.N.; OLIVEIRA, M.P. Diferimento de pastos de braquiária cultivares Basilisk e Marandu, na região do Cerrado. Pesq. Agropec. Bras., v.42, p.273-280, 2007.

European Agency for the Evaluation of Medicinal Products (EMEA) 2000 Veterinary Medicines and Information Technology Unit. EMEA/MRL/734/00 FINAL, p 1–2. EMEA, London, UK

Flasshoff, F. H. 1974. Clinical and chemical blood serum investigations in cattle and treatment studies with ornithine-aspartate-product HMV 20 and with Catosal for the reduction of fertility and health disorders. PhD Thesis. Tierärztliche Hochschule, Hannover, Germany.

Larscheid, H.-P. 1994. Untersuchung zur Wirkung von Butafosfan (Bayer/Leverkusen) in der Preventive und Therapie der Neugeborenen Enteritis und enzootischen

Mcdowell, L.R., 2000. Vitamins in Animal and Human Nutrition. 2nd ed., Iowa State University Press, Ames.

McMENIMAN, N.P.; LITTLE, D.A. Studies on the supplementary feeding of sheep consulming mulga (Acacia aneura). I. The precision of phosphorus and molasses supplements under grazing condition. Australian Journal of Experimental Agricultural Research and Animal Husbandry, v.14, n.68, p.316-321, 1974.

PAULINO, M.F. Estratégias de suplementação para bovinos em pastejo. In: SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE, 1., 2001, Viçosa, MG. Anais… Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2001. p.137-156.

Reynolds, C.K., 2006. Production and metabolic effects of site of starch digestion in dairy cattle. Anim. Feed Sci. Technol. 130, 78–94.

SILVA, F.F.; SÁ, J.F.; SCHIO, A.R. et al. Suplementação a pasto: disponibilidade e qualidade x níveis de suplementação x desempenho. Rev. Bras. Zootec., v.38, supl. especial, p.371-389, 2009.

Simon, F. 1990. Study on stress reducing effect of butaphosphan in sheep. Unpublished internal report: Bayer Healthcare AG, Leverkusen. Bayer ID 12765.

SYKES, A.R.; FIELD, A.C. Effects of dietary deficiencies of energy, protein and calcium on the pregnant ewe. I. Body composition and mineral content of the ewe. Journal of Agricultural Science, v.78, p.109-117, 1972.

Compartilhe:
Cadastre-se para receber novidades