Pneumonia em bezerros
Pneumonia em bezerros – Como realizar o tratamento corretamente

Os primeiros dias de vida do bezerro são os de maior susceptibilidade à ocorrência de doenças, apresentando risco iminente de morte, que decresce gradativamente com o avanço da idade do animal. Por isso os cuidados ao nascimento são essenciais para a redução da mortalidade e prevenção de doenças infecciosas que acometem o bezerro neonato (REYNOLDS et al., 1980; HOLGADO et al., 1992; KATOCH et al., 1994).


Dentre as doenças infecciosas mais comuns do recém-nascido, as afecções respiratórias estão entre as principais. Segundo Andrews & Read (1983) essas enfermidades representam 51,2% dos casos de doença em animais com até 3 meses de idade. Outros autores também relataram altos índices de broncopneumonia na criação de bezerros: 26,3% em fazendas com manejo extensivo na região de Araçatuba – SP (Barros et. al., 1966), 12,27% em fazendas na região de Garanhuns – PE (RABELLO et al., 1996) e 12,27% em fazendas do interior do estado de São Paulo (GONÇALVES et al., 2000).


A broncopneumonia é uma doença multifatorial caracterizada por infecção dos pulmões e brônquios, podendo ser causada por bactérias, vírus, fungos, parasitas, dentre outros agentes patogênicos (GONÇALVES, 1997; REBHUN, 2000; CARDOSO et al., 2002; RADOSTITS et al., 2002; MAILLARD et al., 2006; VALARCHER e HÄGGLUND, 2006). Pneumonias aspirativas também podem ocasionar essa enfermidade, devido ao contato de substâncias irritantes com a superfície do epitélio que recobre as vias aéreas superiores (SMITH, 2006). Dentre os agentes infecciosos mais comuns, destacam-se:


  • Pasteurella Multocida;
  • Mannheimia haemolytica;
  • Haemophilus somnus;
  • Herpesvírus Bovino tipo 1;
  • Vírus Sincicial Respiratório Bovino (SMITH, 2006).


Como é feito o diagnóstico da Broncopneumonia e formas de prevenção


O diagnóstico da broncopneumonia deve ser feito através do exame clínico, podendo-se utilizar como auxílio exames laboratoriais complementares. O exame clínico das vias aéreas e parênquima pulmonar também é realizado com o objetivo de caracterizar o grau de intensidade da doença, importante para avaliar o prognóstico e ser mais assertivo no tratamento (WILSON & LOFSTEDT, 1990; ANDREWS, 1992; STOBER, 11 1993; RADOSTITIS et al., 1995; GONÇALVES, 1997; REBHUN et al. 2000; GONÇALVES et. al., 2001).


A profilaxia é imprescindível para a prevenção e controle das afecções respiratórias, como a implantação de um protocolo vacinal na fazenda. A imunidade adquirida pela vacina protege os animais de contrair e transmitir a infecção e previne a ocorrência de casos graves no rebanho, evitando prejuízos à saúde animal e à lucratividade da fazenda. É essencial que os animais vacinados estejam bem nutridos, com bom índice de escore corporal, vermifugados e sem estresse, para que o organismo consiga desenvolver uma boa resposta imune vacinal (SMITH, 2006).


Remédio para pneumonia em bezerros


Para o tratamento das broncopneumonias bacterianas indica-se a utilização de um antimicrobiano de amplo espectro e boa perfusão no sistema respiratório. Um fármaco que apresenta excelente resultado na resolução dessa enfermidade é a Enrofloxacina, pertencente ao grupo das Quinolonas de 2ª geração. Segundo pesquisa desenvolvida por Hannan et al. 1997, a utilização da Enrofloxacina promoveu a resolução de todos os casos clínicos tratados, evidenciando a eficácia desse medicamento.


A sugestão da JA Saúde Animal para a resolução das infecções bacterianas respiratórias é o uso do Diclotril, medicamento à base de Enrofloxacina e Diclofenaco de Sódio. Além da eficaz ação bactericida promovida pelo antimicrobiano, Diclotril promove ação anti-inflamatória, analgésica e antipirética, proporcionando maior bem-estar aos animais e rápida recuperação.


Referências


ANDREWS, A.H., READ, D.J. A comparison of disease in calves. I. A method of disease recording and its use under different system of feeding. Effect of different management and feeding system on one farm. Brit. Vet. J., v.139, p.423 439, 1983.
BARROS, H.M., LAMOUNIER, R.D., ARAÚJO, L.M., BENINTENDI, R.P. “Causa mortis” em bezerros Bos indicus, em regime de criação extensiva. Bol. Indústr. Anim., v.23, p.199, 1965/66.
GONÇALVES, R.C. Estudo clínico e citológico em bezerros clinicamente sadios e portadores de broncopneumonia moderada a grave. 1997.
GONÇALVES, R.C.; BARIONI, G. Exame clínico do aparelho respiratório de bezerros. Rev. Educ. Cont. CRMV-SP, v.3, p.4-13, 2000.
HANNAN, P.C.T.; WINDSOR, G.D.; JONG, A.; SCHMEER, N.; STEGEMANN, M. Comparative susceptibilities of various animal-pathogenic mycoplasmas to fluoroquinones. Antimicrob. Agents Chemother., v.41, n.9, p.2037-2040, 1997.
HOLGADO, F. D.; de SAL PAZ, A. R.; BOGGIATTO, P. R.; de SAL PAZ, A. R. Reproductive performance in a Nelore herd with two breeding seasons. Rev. Argent. Prod. Anim., v. 12, n. 3, p. 281-286, 1992
KATOCH, S.; MANUJA, NEURÔNIO K.; THAKUR, Y. P.; SINGH, S. Factors affecting calf mortality in organized dairy herd. Indian J. Dairy Sci., v. 46, n. 12, p. 592-594, 1994.
RABELLO, S.S.A.; LIMA JUNIOR, A.D.; CASTRO, R.S.; TABOSA, J.H.C. Sazonalidade da broncopneumonia em bezerros da microrregião de Garanhuns, Pernambuco (1983-1991). Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.48, p.19-26, 1996.
REBHUN, W.C. Doenças do gado leiteiro. Roca: São Paulo, 2000. p.86-110.
REYNOLDS, W. L.; DEROUEN, T. M.; MOIN, S.; KOONCE, K. L. Factors influencing gestation length, birth weight and calf survival of Angus, zebu and zebu cross beef cattle. J. Anim. Sci., v. 51, n. 4, p. 860-867, 1980.
SMITH, J.A. Sistema respiratório bovino em: SMITH, B. Medicina Interna de Grandes Animais. 3.ed. São Paulo: Manole 2006; Cap. 29, p.550-585.

Você também pode gostar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *