Vitaminas A, D e E e a suplementação para bovinos
Vitaminas A, D, e E: entenda a importância da suplementação para bovinos

As vitaminas são moléculas orgânicas essenciais para o funcionamento normal do organismo, estando presentes em inúmeras reações metabólicas e fisiológicas das células, além de atuarem como estimulantes do sistema imunológico. As vitaminas normalmente são fornecidas por meio da dieta. Por outro lado, algumas vitaminas são sintetizadas pelo próprio organismo e só precisam ser fornecidas em casos que a síntese não atenda às exigências dos animais (Urban-Chmiel et al., 2009).



Os ruminantes possuem uma particularidade que é sintetizar vitaminas do complexo B e K pela microbiota ruminal, com exceção de animais jovens em fase de aleitamento em que o rúmen não é completamente desenvolvido e funcional. A vitamina D, assim como em outros mamíferos, pode ser suprida através da dieta ou pela síntese na pele do animal por meio da irradiação solar (Church, 1988).



Porém as vitaminas A e E não são sintetizadas, sendo necessária a suplementação (Church, 1988). Animais confinados possuem maiores exigências de vitamina A, D e E, devido ao tipo de dieta que recebem apresentar deficiência destes nutrientes. Além disso, vacas no período periparto apresentam baixa concentração de vitaminas A, D e E no organismo (Weiss et al., 1990).


Vitamina A: como ela é absorvida e quais são as suas funções?



A vitamina A é absorvida a partir de precursores presentes na alimentação, principalmente o betacaroteno. Uma vez ingerido, o betacaroteno é modificado em vitamina A ativa pelo intestino delgado, distribuída aos tecidos e armazenada no fígado. Durante o período quente e chuvoso as pastagens apresentam grande quantidade de elementos carotenoides em sua composição, mas estes elementos são drasticamente reduzidos das pastagens na época de seca (Weiss et al., 1990).



As principais funções da vitamina A no organismo animal são: formação e manutenção da integridade da pele e das mucosas (conjuntival, brônquica, vesical e uterina); desenvolvimento do sistema nervoso; funções reprodutivas, como desenvolvimento embrionário e manutenção da gestação em fêmeas prenhes; também como estimulante do sistema imune (Carroll & Forsberg, 2007).


Vitamina D: fundamental para o equilíbrio das concentrações de Cálcio e Fósforo no organismo



Já a vitamina D é apresentada em duas formas: D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol), as duas são utilizadas na suplementação de bovinos. Ambas tornam-se ativas após a exposição dos compostos presentes na superfície da pele à irradiação ultravioleta ou luz solar (Church, 1988). A função principal da vitamina D é o controle do equilíbrio das concentrações de Cálcio e Fósforo (Ca e P) através da alteração na absorção intestinal e a reabsorção renal de Ca e P, por isso é fundamental que esteja presente em níveis corretos no organismo.


Vitamina E: entenda a sua função antioxidante e imunoestimulante



A vitamina E é disponibilizada nas forragens na forma de tocoferol. Forragens verdes frescas contêm quantidades substanciais de tocoferol, mas as concentrações desta substância no feno e na silagem são 20 a 80% mais baixas (Church, 1988). Sua função no organismo é atuar como antioxidante e imunoestimulante, melhorando a atividade fagocítica e bactericida dos macrófagos e neutrófilos (Bouwstra et al. 2008, Urban-Chmiel et al. 2009).


Por que a suplementação com as vitaminas A, D e E é tão importante?



Embora a dieta rica em folhagens verdes frescas forneça quantidades suficientes de vitaminas A, D e E, a suplementação intensiva com alimentos conservados na forma de feno ou silagem pode reduzir em até 50% os teores destas vitaminas na dieta (Weiss et al., 1990). Além disso, em sistemas de confinamento onde a exposição dos animais com raios solares é reduzida, como é o caso de muitas fazendas leiteiras, torna-se de extrema importância a suplementação com vitamina D (McDowell et al. 1996).



Trabalhos publicados com o objetivo de avaliar os resultados da suplementação com vitaminas A, D e E em bovinos mostraram melhores índices reprodutivos do rebanho e diminuição da morbidade a doenças pela melhora da imunidade (Weiss et al., 1997; Zanetti et al., 1998; Martins et al., 2016). Ainda, a suplementação com vitaminas A, D e E pode atuar na absorção de nutrientes, no grau de marmoreio e na maciez da carne, além de promover melhora na coloração da carne bovina (Pedreira et al., 2002; Carroll & Forsberg, 2007).



Dada a importância da suplementação com estas vitaminas em bovinos, a JA Saúde Animal apresenta o Ative ADE, um complexo vitamínico concentrado à base de vitaminas A, D e E. Esta formulação ajuda na melhora dos índices produtivos e reprodutivos do rebanho, além de atuar como estimulante do sistema imunológico. Ative ADE pode ser indicado para todas as categorias, mas principalmente para as mais suscetíveis à ocorrência de doenças como vacas no puerpério, bezerros neonatos e bovinos na entrada de confinamento.



Autora


Hanna Prochno
Médica Veterinária – JA Saúde Animal

Referências



Bouwstra, R.J., Goselink R.M.A., Dobbelaar P., Nielen M., Newbold J.R. & Van Werven T. The relationship between oxidative damage and vitamin e concentration in blood, milk, and liver tissue from vitamin E supplemented and non supplemented periparturient heifers. J. Dairy Sci. 91(3):977-987. 2008.
Carroll, J.A.; Forsberg, N.E. Influence of Stress and Nutrition on Cattle Immunity. Vet Clin Food Anim., v.23, p.105–149, 2007.
Church, D.C. The ruminant animal digestive physiology and nutrition. New Jersey: Print-Hall, 1988.
Martins, E.R.M; Bertagnon, H.G.; Batista, C.F.; Gomes, R.C.; Santos, K.R; Bellinazzi, J.B; Della Libera, A.M.M.P. Influência da suplementação de vitaminas A, D e E na função imune de bezerros alimentados com dieta à base de feno capim tifton (Cynodon spp.). Pesq. Vet. Bras. 36(5):453-459, 2016.
McDowell L.R., Williams S.N., Hidiroglou N., Njeru C.A., Hill G.M., Ochoa L.; Wilkinson N.S. Vitamin E supplementation for the ruminant. Anim. Feed Sci. Tech. 60(3):273-296. 1996.
Pedreira, A.C.M.S. Características Qualitativas do Músculo Longissimus dorsi de Animais Bos indicus Tratados com Vitamina D3. Tese – (doutorado) Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo. 45p. 2002.
Weiss, W. P., J. S. Hogan, K. L. Smith, and K. H. Hoblet. Relationships among selenium, vitamin E, and mammary gland health in commercial dairy herds. J. Dairy Sci. 73:381–390. 1990.
Weiss, W. P., J. S. Hogan, D. A. Todhunter, and K. L. Smith. Effect of vitamin E supplementation in diets with a low concentration of selenium on mammary gland health of dairy cows. J. Dairy Sci. 80:1728–1737. 1997.
Urban-Chmiel R., Kankofer M., Wernicki A., Albera E. & Puchalski A. The influence of different doses of α-tocopherol and ascorbic acid on selected oxidative stress parameters in in vitro culture of leukocytes isolated from transported calves. Livst. Sci. 124(1/3):89-92. 2009.
Zanetti, M.A; Neunhaus, L.E.D.; Schalch, E.; Martins, J.H. Efeitos da Suplementação de Selênio e Vitamina E em Bovinos Leiteiros. R. Bras. Zootec., v.27, n.2, p.405-408, 1998.

Você também pode gostar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *